4 dicas para aprimorar a gestão do departamento jurídico da sua empresa

24/05/2019 | 4 min. de leitura

Com funções por vezes pouco conhecidas, o departamento jurídico exerce grande importância para o controle e a gestão de uma empresa. A exemplo de áreas como as de recursos humanos, administrativo, financeiro e vendas. Isso porque, ao longo dos anos, o setor passou por uma ressignificação de suas funções.

Ainda que se tenha a ideia de um setor com muitas burocracias e complexidades, os departamentos jurídicos deixaram de apontar somente o que se deve fazer ou não em termos legais.

A transformação digital é uma das referências dessa mudança, já que proporcionou ferramentas que auxiliam as atividades dos departamentos jurídicos. Maior autonomia e eficiência operacional são algumas das conquistas ao longo dos últimos anos.

Além disso, o engajamento dos advogados com os objetivos estratégicos têm alavancado bons resultados. Muitos estão diretamente ligados ao desempenho interno, como a organização da empresa, e externo, como a satisfação dos clientes.

Compreender os diferentes aspectos envolvidos em uma gestão eficaz de um departamento jurídico tende a impactar positivamente os resultados da empresa como um todo. Saiba quais foram os avanços dos departamentos jurídicos e como é possível aprimorar a gestão deste setor.

Os avanços dos departamentos jurídicos

Ações de direito do consumidor, revisão de contratos, problemas com entrega de produtos e área de e-commerce. Quando pensamos em grandes empresas, geralmente ao falar de um departamento jurídico, visualizamos altos volumes desses processos.

Alguns anos atrás, a gestão de prazos e tramitação das ações por vezes era realizada por escritórios terceirizados. Isso porque, apesar de a natureza dos processos ser repetitiva, todas seguiam o mesmo rito processual. Com isso, os departamentos jurídicos não conseguiam absorver a demanda para si. Assim, o setor ficava responsável apenas por monitorar como esses escritórios trabalhavam.

A chegada do processo digital e a criação do Sistema de Precedentes Judiciais Obrigatórios fez com que o julgamento de processos fosse mais ágil. A partir disso, a organização dos precedentes nos Tribunais, a forte atuação de conciliações e a chegada de softwares jurídicos fez com que a função de gestão de processos pudesse retornar, em parte, aos departamentos jurídicos.

Por consequência, ao ter acesso aos dados dos processos, o setor consegue ter mais previsibilidade. Assim, com a gestão da informação há uma melhor organização, que capacita a elaboração de políticas de acordo, por exemplo.

Outras funções que atualmente os departamentos jurídicos podem realizar:

  • Assessoria nas questões trabalhistas da empresa;
  • Gestão de contratos de prestação de serviços e de vendas;
  • Monitoramento de defesas e estratégias da empresa;
  • Influenciador de atividade fim da empresa;
  • Ações de direito do consumidor e análise de contrato.

Como aprimorar a gestão do departamento jurídico

Tanto para prevenir problemas quanto para ajudar a resolvê-los ou atenuar seu impacto no negócio, o departamento jurídico necessita de uma boa gestão. Separamos 4 dicas para que este setor traga bons resultados em suas relações com clientes, parceiros, colaboradores e poder público. Confira:

Departamento jurídico como parceiro das áreas de negócio

Como mencionado anteriormente, o departamento jurídico exerce grande importância para o controle e a gestão de uma empresa. Por isso, deve ser incluído na gestão estratégica, em conjunto com as áreas de negócio.

Contar com a experiência de outras equipes da organização contribui para uma integração necessária ao sucesso da empresa. Além da realização de práticas assertivas.

Na prática, isso se desenvolve com a atuação do departamento no monitoramento das ações judiciais que a empresa recebe. O que dá uma grande visão de como está a sua atuação no mercado. Assim, estrategicamente falando, é possível alcançar melhorias internas com projetos que resultam positivamente lá fora.

Um primeiro passo para que o departamento jurídico seja efetivado como parceiro das áreas de negócios é incluí-lo nas atividades diárias. Reuniões, diagnósticos, consultorias e, principalmente, desfazer a imagem de que esses setores são apenas centro de custos.

Foco na satisfação do cliente

Alguns departamentos jurídicos utilizam o SAC e a ouvidoria da empresa para ter um diagnóstico dos principais “erros” cometidos. Com isso, ações podem ser mapeadas para evitar que se tenha processos e garantir que a empresa cumpra os contratos com os consumidores.

Para além da parceria com as áreas de negócios, estar perto do atendimento e da satisfação do cliente para coletar e instruir ações é uma atividade que deveria ser recorrente nos departamentos jurídicos. Clientes satisfeitos não realizam ações contra a empresa.

Adotar o Net Promoter Score pode ser uma boa ideia. O NPS é um método universal de avaliação da satisfação dos clientes. Ele vem sendo aplicada em diversas áreas e isso inclui a advocacia privada.

Desenvolvimento de indicadores de desempenho

Depois de entender que a satisfação do cliente é essencial na gestão do departamento jurídico, podemos tratar de um outro assunto complementar: a mensuração do desempenho da equipe.

Pode parecer trabalhoso e pouco usual no meio jurídico mas essa atividade tende a apontar erros recorrentes e qual a melhor forma de trabalho da equipe. Em função disso, possuir indicadores vinculados ao tempo de entrega de pareceres, análises de contratos ou apreciação de um termo de adesão tende a melhorar o fluxo interno de atividades da empresa.

Uso da Jurimetria para auxiliar nas decisões

A aplicação de estatística e probabilidade é capaz de prever resultados e oferecer probabilidades e valores envolvidos nas análises. Na prática, os departamentos jurídicos conseguem levar os resultados extraídos na Jurimetria para auxiliar no desempenho estratégico da empresa. Além de ter um parâmetro mais assertivo de ganhos, acordos e perdas de ações.

Com a utilização de softwares que realizam a Jurimetria, que já tem uma massa de dados grande, é possível entender diferentes pontos. Qual o posicionamento do juiz, o ritmo de tramitação, os valores médios de condenação são alguns exemplos. Então, baseado em analises preditivas, a simetria da informação proporciona a solução de casos sem a necessidade de um escritório terceirizado.

Conclusão

Esperamos que com as nossas dicas sobre gestão do departamento jurídico, você leve para a empresa em que você atua boas propostas de otimização de processos de trabalho. Pequenos esforços, que não envolvem grandes custos, podem ter um grande impacto na atuação da empresa.

Seus comentários são sempre muito bem-vindos. Comente!

Este espaço destina-se às repercussões sobre notícias e artigos publicados no SAJ Digital. São de responsabilidade de seus autores. Não servem como abertura de chamados e atendimentos para o portal e-SAJ.

Leia também

Receba nossas novidades por e-mail:

Fale com o
especialista
Desenvolvido por: Linkedin Instagram